19/02/2007

Partido é partido, pô!!!


Você é daqueles que acreditam que há partido e partido? Quero dizer: que os partidos políticos são diferentes entre si, que há partido, digamos, avançado e partido, digamos, atrasado ou retrógrado, ou ainda, de esquerda e de direita?

Se você disser que essas diferenças aparecem no discurso, no blá-blá-blá, nas promessas... realmente, não há como não concordar com você. As diferenças são muitas – temos que reconhecer...

Mas, na prática, no dia-a-dia, na hora mesmo de pegar o boi pelo chifre, a conversa é outra. Quero dizer: o procedimento desse ou daquele partido é exatamente igual ao procedimento daquele ou desse partido. Tanto um quanto outro utiliza qualquer meio para atingir o mesmo fim.

E qual é o fim, quero dizer, o objetivo de qualquer partido? O que não falta é gente tentando nos convencer que esse ou aquele partido quer organizar a sociedade, servir como meio de expressão de um grande número de pessoas, garantir os direitos constitucionais, dar força à democracia... Numa palavra: conversa mole, papo pra boi dormir, encheção de lingüiça...

O que qualquer partido quer é o poder. O poder de mandar nos outros. De decidir pelos outros. De dizer o que os outros podem ou não querer e fazer. Por isto mesmo é que ele é partido. Por isto mesmo ele é quebrado, é parte, é um pedaço... Na absoluta maioria das vezes, é um caco, um cisco, uma felpa que tem a capacidade, não só de tirar o bom humor de qualquer um, mas de desgraçar a vida de um povo.

2 comentários:

  1. Diego19:44

    Eita...tenho concordado com tantas coisas que você escreve que tô ficando até preocupado.

    Escreve aê alguma coisa pra eu discordar e nós termos uma boa discussão, vai, Donizete.

    :)

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Mas isto não é de todo ruim, meu caro!
    Significa que temos pensamentos em comum, muito embora isto não gere diálogo algum propriamente...
    Grande abraço!

    ResponderExcluir