02/08/2008

Pago (e muito caro) num espaço público

Fomos ao circo instalado no Memorial da América Latina. Pagamos, só pra entrar, nada menos que 30 reais (inteira) e 15 (meia). Pipoca? 5 reais o pacote... Algodão doce? 3 reais... Água? 2 reais... O resto, nem quis saber os preços... Estávamos em 4 e deixamos lá, em pouco mais de 2 horas, nada menos que 100 reais.

O espetáculo é patrocinado por uma grande empresa, quer dizer, pelo menos parte dos impostos a serem pagos por ela, e que deveria ser destinado a serviços em favor da população em geral, vai para o circo. Não tenho a menor idéia do quanto em dinheiro isto significa, mas imagino que a qualidade de patrocinador não é pra qualquer um, principalmente quando se trata de um Circo que, como sabemos, envolve, além de um grande número de pessoas, um monte de outras coisas... Certamente, não é nada barato... E grande! Ocupa um baita espaço...

Mas ele está montado no Memorial da América Latina, que é um espaço público e, portanto, bancado por todos nós. É o seu e o meu dinheiro que garantem a manutenção e o funcionamento daquele lugar. Parte dos impostos que nós pagamos – e nós pagamos, como você bem sabe, uma quantidade enorme de impostos sobre absolutamente tudo que produzimos e consumimos – é destinada a fazer daquele lugar um espaço público, que pode ser usado integralmente por todos nós.

Então, não tem como não fazer um monte de perguntas, não é? Sendo um espaço mantido por toda a população, por que somente os que podem pagar podem ir ao circo? Sendo um espaço público, por que algumas empresas já patrocinadas (em última instância com o nosso dinheiro) podem ali se instalar e, como se isso não bastasse, cobrar – e cobram caro! – da população a entrada num lugar que já é dela? E o patrocinador, que já foi beneficiado algumas vezes, pode mesmo explorar seus produtos ali? Pode mesmo? E por aí vai...

Quanto ao espetáculo, a avaliação é boa. É gente nossa, certamente esforçada, dando o máximo pra fazer uma apresentação legal; é, sobretudo, gente nossa lutando pelo circo nacional. Merece nosso respeito e consideração...

2 comentários:

  1. Donizete, concordo plenamente com a tua indignação, mas no que diz respeito à água, ao algodão doce, à pipoca..., rs rs rs, meu amigo, não adianta reclamar. Abraço.

    ResponderExcluir
  2. claro que adianta, Patrícia!

    vai lá você e coloca uma banquinha de pirulito, por exemplo, pra ver se fica lá um minuto...

    se você não pode, por que eles podem?

    então, não adianta reclamar????????

    ResponderExcluir