04/10/2008

Nâo é o máixmo !!

De aorcdo com uma pqsieusa de uma uinrvesriddae ignlsea, não ipomtra emqaul odrem as lrteas de uma plravaa etãso, a úncia csioa iprotmatne é que a piremria e útmlia lrteas etejasm no lgaur crteo. O rseto pdoe ser uma ttaol bçguana que vcoê pdoe anida ler sem pobrlmea. Itso é poqrue nós não lmeos cdaa lrtea isladoa, mas a plravaa cmoo um tdoo.



Não é interessante mesmo?



Pior de tudo é constatar que há um número enorme de gente que trabalha com alfabetização achando que aprender a ler e escrever é juntar b com a ba, b com u bu e outros tantos achismos lamentáveis...



Quando será que teremos gente competente trabalhando na educação???

Um comentário:

  1. Anônimo16:50

    Como o mau professor subestima a real capacidade de seus alunos!
    Ignorar o que uma pessoa tem condições de escrever, seja ela criança ou adulto em processo de alfabetização, é um retrocesso.
    O docente comodista enche a lousa com uma sequência de sílabas soltas, sem qualquer sentido e, se o moleque entediado não ficar parado, apenas copiando, logo é diagnosticado com hiperativo.
    Ah sim! O problema está no moleque...
    Ana Paula Offenstein Teles

    ResponderExcluir