11/02/2009

Professores que alfabetizam em SP seriam reprovados

Leia a matéria de Gilberto Dimenstein, sobre a condição dos professores em São Paulo:

"Cerca de 40% dos professores responsáveis pela alfabetização dos estudantes tiveram na nota abaixo de cinco no teste realizado pela secretaria estadual da educação de São Paulo --ou seja, seriam reprovados. A alfabetização é uma das questões mais graves da educação no país, cuja deficiência explica boa parte da crise do ensino já que o estudante tem dificuldades de ler e escrever.

Obtive esses dados a partir da tabulação das notas dos 48 mil professores temporários da primeira e quarta série (o período de alfabetização). Entre os que seriam reprovados, 2.019 tiraram zero ou ficaram muito próximos dessa nota. Apenas 103 (0,2%), daquele total, ficaram com a nota máxima.

De acordo com o documento ao qual tive acesso, 15.800 professores ficaram pouco acima da média, entre a nota cinco e seis, o que significa 32% da amostra. Ou seja, 72% dos professores da primeira e quarta série estão abaixo do regular.

Essas informações detalham notícia divulgada domingo neste espaço, mostrando que do total dos que fizeram a prova (214 mil), 3.000 tiraram zero e cerca da metade ficou abaixo da média.

O sindicato dos professores conseguiu barrar, na Justiça, a determinação da secretaria da Educação de que as notas servissem como critério para os temporários escolhessem aula na rede pública."

Fonte: Folha de SPaulo

2 comentários:

  1. Anônimo10:28

    É uma vergonha!!!
    Mas, isso se torna normal a medida que o númenro de pessoas procuram um curso superior- o grande motivo mercado de trabalho -estes não estão preocupados com o futuro das crianças, do país e do mundo, mas com seu bolso. Por isso ensinam qualquer coisa... professor que é professor nasce estudando e morre estudando, mesmo que este não lecione mais o seu prazer é estudar, logo vem acompanhado de aprender, para ele não importa como, só, em curso ou com o próprio aluno.
    Acredito que se as escolas estivessem ocupadas com professores que dão espaço para estudar e aprender, este resultado seria bem diferente...

    Suene de Oliveira

    ResponderExcluir
  2. Comprometimento...cadê?!

    ResponderExcluir