20/01/2010

O valor do prêmio

Nada pode ser mais contrário, oposto, negativo, perverso e sacana do que qualquer tipo de prêmio.

Claro! Este princípio vale pra qualquer atividade que se diz e se apresenta como humanista – o contrário, portanto, de todo e qualquer jogo do mercado... Neste caso, simplesmente vale tudo!!!

Ora, quando se pensa e fala em prêmio, o que mais importa não é o ganhador, mas quem o doa. A rigor, não importam nem a ação ou o conjunto de ações, se tem ou tiveram alguma importância na vida das pessoas, mas a ação de doar. A festa é de quem premia. Os ganhos também, assim como o reconhecimento, sobretudo, dos seus iguais. 

É impressionante como poucos pessoas percebem isso! O sujeito ou a instituição fica feliz, faz questão de exibir o troféu, o diploma, o certificado, o papelzinho ou um símbolo qualquer, e acha que isto é ser recompensado e, portanto, exemplo e modelo para os outros. Não vê que está fazendo parte de um jogo que tem como objetivo dividir e separar os bem intencionados melhoradores da humanidade...

Prêmio, concurso, campeonato etc. tem como princípio a competição. Nada mais interessa! Não atendeu a todos os objetivos? Não fez o que devia ser feito do jeito que devia ser feito? Não soube achar uma saída – quem sabe até trapacear? Não conseguir deixar os outros pra trás? Azar o seu!!!

“O melhor” “O mais” “O único” serve, isto sim, para aprofundar o desrespeito e a desconsideração entre as pessoas. Solidariedade? Companheirismo? Fraternidade? Nada disso – muito embora estes valores, não raro, façam parte dos discursos dos premiadores... e também dos premiados... Que triste!!!

Interessante, não?

Um comentário:

  1. Será que isso também não teria a ver com o "estrelismo", ou a busca pelo "sucesso"? Já viuo quanto nossa sociedade busca o surgimento das estrelas, produzidas pela mídia? Seriam os premiados? Não representariam então o sonho do povo? Aprende-se música para ser o grande artista, faz-se teatro para ser estrela da globo, estuda-se muito para ser o executivo de sucesso e por aí podemos fazer lista grande de exemplos de busca da fama, do grande prêmio...tem a ver? Não sei, mas com certeza afirmo que este comportamento não pode ser mais contrário ao desenvolvimento da democracia, não aquela que premia apenas algumas estrelas, mas a democracia que possibilita e estimula a autonomia e permite ao ser humano enxergar a melhor dosagem entre o desenvolvimento individual e o coletivo. Bom, idéias jogadas, com necessidade de aprofundamento...valeu, abraço.

    ResponderExcluir