09/03/2010

Preconceito não se discute

E ponto final. Simplesmente porque não há o que discutir.

Ora, se é pré-conceito, algo sobre o qual tudo o que se tem a dizer é “acho que”, o mais indicado é ficar quieto. Quando não se tem o menor conhecimento sobre algum tema, convém mesmo é fechar boca e deixar burilar o pensamento. “Em boca fechada, não entra mosquito”, não é assim? E nem sai besteiras, podemos completar.

Pois que elas fiquem pra lá e pra cá dentro de nossas cabeças até se transformarem em algo que faça algum sentido, ou que se juntem às outras tantas que vez ou outra nos lembramos e logo esquecemos...

Que importância pode ter uma opinião sem fundamento? Merece respeito alguém que diz algo sem pensar racionalmente, simplesmente repetindo o que o outro disse? Pode ser levado a sério quem não se dá o trabalho de rever e repensar o que lhe foi ensinado e o que efetivamente ele aprendeu?

Qualquer tipo de preconceito expressa ignorância, isto é, agnosia ou desconhecimento, desinformação, incompreensão... Numa palavra: estupidez. Vale dizer: ausência de inteligência, de bom senso, de discernimento.

Então, dá pra discutir preconceito?

Nenhum comentário:

Postar um comentário