08/03/2015

No Taxi

Na avenida São Luis, bem no centro da cidade de São Paulo, o motorista tem que parar no semáforo mais tempo do que o convencional porque um grupo de idosos, bem devagar, atravessa a rua em direção à praça. O passageiro comenta com ele o fato de que o Brasil caminha para ser um país de idosos; segundo o IBGE, em 2050, haverá mais idosos do que crianças e jovens no Brasil.

Bravo, o taxista diz que 'esse governo' vai acabar matando todos os velhos só pra não pagar aposentadoria; assim sobra dinheiro pra corrupção, porque tudo o que 'esse governo' sabe fazer é roubar a população. O passageiro diz que, infelizmente, esta é uma prática antiga no país; que nos 515 anos de história do Brasil, o que mais se viu foi roubalheira. E que, felizmente, ao menos um pouco disso tudo tem vindo à tona nos últimos anos. E lhe perguntou se ele preferia ser roubado e nem ficar sabendo... Claro que não, disse ele, mas 'esse governo' é tão incompetente que nem roubar sabe.

Próximo do final da corrida, ainda muito bravo, lembra que o dia 15 de março já chegando... e que vai ser um grande dia... e que até os militares vão sair pra rua... o que esses caras estão pensando?... querem transformar o Brasil numa Cuba?... nós não somos comunistas... nós somos assim, livres, cada um faz o que quer, apontando para o 'limpo' e 'belo' Largo do Paissandu, quase sempre habitado por mendigos, bêbados e prostitutas em meio a apressados transeuntes.

O passageiro paga a corrida e, ainda dentro do carro, diz ao taxista que já foi a Cuba e que, no período em que lá esteve, não viu pedintes e nem gente jogada na rua. Disse que as pessoas comiam arroz, feijão e legumes... que não comiam carne todo dia, mas que eram saudáveis... O taxista ouviu e, um pouco mais calmo, falou que não era esta a informação que ele tinha; que a reportagem que ele viu na tevê mostrava que não era nada disso... Mas você acredita em tudo o que vê na televisão? - indagou o passageiro. E o taxista respondeu: claro que não... [04/03/2015]

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário