29/08/2015

Como influenciar pessoas *

A propaganda de um produto ou de uma ideia ou de um serviço vende muito mais que o próprio produto, a ideia ou o serviço. Ela vende a promessa de satisfação de necessidades despertadas nas pessoas a partir de uma ideia ou serviço ou produto. Isto é: a propaganda opera no nível do desejo enquanto necessidade criada, inventada, devidamente estudada e planejada.

  • Dentre outros significados, desejo tem a ver com incompletude, carência, sentimento de falta.
Pois é exatamente aí, nas fissuras invariavelmente presentes em cada um de nós, que ela opera. O que a  propaganda promete é completar, suprir, satisfazer o que ela mesma afirma que falta às pessoas.
 
***
 
Quem inventou a palavra 'propaganda' foi a igreja católica do século 17. Em 1622, ameaçado pela reforma luterana, que tirava ovelhas do rebanho romano, o papa Gregório XV criou uma comissão pra formar missionários e disseminar o catolicismo.
 
Desde então, muitos outros grupos não só divulgaram 'profissionalmente' suas ideias, mas trataram de aperfeiçoar o 'jeito católico' de fazer propaganda. Nos últimos tempos, graças às condições históricas favoráveis à burguesia internacional, o nível de especialização é altíssimo. Podemos considerar os realmente influentes profissionais da área como os atuais ideólogos do 'jeito capitalista' de viver. O que era uma técnica inventada para conversão de fiéis transformou-se em algo que, tendo em vista os rumos que a maioria dos grupos sociais tomou e, conscientemente ou não, insiste em manter, a propaganda se tornou 'a alma do negócio'.

  • A palavra negócio vem do latim 'negotium', formada por 'nec' [não] + 'otium' [ócio]. Negócio, então, é o mesmo que ausência de tempo livre, de folga. Negar o ócio é dar valor somente ao trabalho.
No Brasil, algumas agências destacam-se no cenário mundial: são vencedoras de mais de uma centena de prêmios num tal 'festival de criatividade'. Outras tantas, mesmo sem prêmios, fazem e acontecem… Se faturam muito ou pouco, não interessa. Se são reconhecidas ou não, idem.  O fato é que, do ponto de vista humano, fazem um bom estrago: a 'alma do negócio' transformou-se em 'negócio da alma'.
 
***
 
Se, por um lado, pessoas dedicam suas vidas – conscientemente ou não – para o bem estar do capital e, por outro, grande parte da população – conscientemente ou não – aceita ser manipulada, o que sobra é que, efetivamente, não há mais folga pra alma…
  
  • A palavra alma vem do latim 'anima' e é o mesmo que 'espírito', 'respiração', 'vento'. Alma é chama de vida – algo bem diferente, portanto, do seu sentido igrejeiro.
Ou seja: uma vez que “a propaganda é a técnica de criar opinião pública favorável a um determinado produto, serviço, instituição ou ideia, visando a orientar o comportamento humano das massas num determinado sentido” [appbrasil], influenciar, persuadir e direcionar pessoas é o que interessa.
 
Assim, não deve sobrar tempo para mais nada, além de comer, beber, cagar, dormir e… consumir certas ideias, produtos específicos e determinados serviços. Voltar-se às coisas do espírito, isto é, cuidar de si, sentir e pensar o que sente e pensa, decidir sobre a própria vida, enfim... fazer filosofia, definitivamente, não são ações previstas no 'determinado sentido'. 

[*] este texto integra a série 'Quem precisa de líder'

Nenhum comentário:

Postar um comentário