06/09/2015

"Morreu de Vaidade"


Foi assim que ela se referiu à morte do marido, quando lhe perguntei como foram os últimos dias de vida dele que, mesmo aposentado, há tempos trabalha na limpeza e manutenção do grande jardim de um clube privado.

- Ele não podia fazer tanto esforço, não podia carregar peso, mas fazia isso e muito mais.

Segundo ela, o marido ficava vaidoso pelos elogios do dono do clube que viva dizendo que ela era muito dedicado ao trabalho. Era o tipo do patrão esperto, que lucra explorando o trabalho dos outros, principalmente dos mais 'frágeis': paga com muito elogio e pouco dinheiro.

- Quanto mais elogiado, mais queria mostrar que era aquilo mesmo que o patrão falava dele.

O fato é que deu no que deu: o esforçado e bom trabalhador morreu antes do tempo.

- E por vaidade, insistiu a senhora.


Em tempo:

1] vaidade vem de vácuo, vazio; vaidosa é a pessoa que tem desejo de atrai a admiração de outras pessoas; então, para atender a esta necessidade, cria uma imagem de si mesma, tendo como objetivo ser invejada ou admirada pelos outros.

2] “Um rapaz muito bonito”, que chamava a atenção de homens e mulheres, mas também muito orgulhoso e arrogante, é o que se pode falar de Narciso, na mitologia grega. “Ninguém o merecia”, pensava ele. Por conta desse jeito de ser, por “se achar” demais, as ninfas pediram aos deuses para vingá-las. E foram atendidas: Narciso foi condenado a apaixonar-se por si mesmo. Encantado com sua própria imagem refletida nas águas do lago, afogou-se.

Nenhum comentário:

Postar um comentário