15/10/2016

Sem noção

'Ganhar' 1, 3, 5, 10 ou mais salários mínimos não faz ninguém mais ou menos 'rico' ou 'pobre'. Faz piões ou meros auxiliares de quem, aí sim, ganha às suas custas.

Do mesmo modo, ser 'proprietário' de terra, comércio, fábrica ou algum tipo de serviço – e nunca ter sentado à mesa com quem decide os rumos da economia – não faz ninguém 'empreendedor' ou 'empresário'. Faz, isto sim, algo parecido com mola propulsora que sustenta e impulsiona quem ocupa lugares que jamais serão dele.

Como ainda não percebem que são surrupiados na divisão da riqueza coletivamente produzida, 'piões' e 'molas' tomam a desastratada decisão de remedar os que faturam com a sua ignorância. E porque ainda não entendem os 'lances do jogo', acreditam que imitar os 'vencedores' faz com que se aproximem ou sejam iguais a eles.

Ostentar carro, joia, casa, roupa ou qualquer objeto de luxo, isto é, mostrar-se como 'rico' quando na real é 'pião' ou 'empreendedor/empresário' é fazer um papel ridículo.

Querer ser ou parecer ser o que de fato não é, ou seja, exibir-se à espera de elogio e reconhecimento é sentir/pensar/agir feito baba-ovo, puxa-saco, lambe-botas, bobo-alegre.

É sobretudo reconhecer e valorizar o papel de mero auxiliar ou peça da máquina que sustenta, impulsiona e garante os lugares dos poucos que decidem quem deve ser 'pobre' ou quem deve ser 'rico'.

Nenhum comentário:

Postar um comentário